maria_salete1

Postado em 30 de abril de 2021 Por Em Santa Catarina E 83 Views

Federação participa de Audiência Pública sobre o Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho

A presidente da FETESSESC, Maria Salete Cross, participou de audiência pública na ALESC para marcar o Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho, em memória às vítimas de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho, na manhã desta quarta-feira, 28. A sua participação serviu de alerta na audiência porque mostrou que os profissionais da saúde precisam de segurança para poder trabalhar preservando suas vidas.

As péssimas condições de trabalho, a falta de equipamentos de proteção individuais (EPIs), o número de mortes destes trabalhadores tornam ainda mais evidente a falta de políticas públicas no Brasil. Maria destacou que a Federação acredita que a pandemia deve ser tratada como emergência sanitária no país, apesar de os governantes se manifestarem contra a proposta de quebra de patentes das vacinas. Para ela, “é preciso que haja urgência na fabricação e na compra das vacinas para que todos e todas sejam imunizados de maneira mais rápida, não a conta gotas como vem sendo feito”.

Em um ano de pandemia, o Brasil registrou a marca de 50.464 casos de Covid-19 e 773 mortes de profissionais da saúde por conta da doença. Só em SC, foram registrados cerca de 4.288 casos e 30 óbitos de profissionais de saúde de março de 2020 até hoje. A presidente enfatizou que “não se pode deixar que a inércia e a irresponsabilidade dos governos tirem a vida de mais trabalhadores. É preciso valorizar os profissionais da saúde agora, mais do que nunca”.

No Brasil, sempre houve grande disparidade nos salários pagos aos profissionais da Enfermagem, nas capitais e nas cidades do interior. Em SC, “a maioria dos sindicatos está em negociação salarial e o discurso patronal é sempre o mesmo, baseado em propostas absurdas de parcelamento de INPC, nada de aumentos reais e retirada de direitos”, afirmou.

A Federação dos trabalhadores na saúde reivindica aos deputados e senadores a aprovação de um piso salarial para os profissionais da enfermagem e a regulamentação da jornada de trabalho as nossas tão sonhadas 30 horas.

O evento foi promovido pela CUT-SC, em parceria com o deputado Neodi Saretta, presidente da Comissão de Saúde. Se você não conseguiu acompanhar, mas quer assistir, clique aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *