chapa

Postado em 29 de novembro de 2021 Por Em Notícias E 167 Views

Chapa única concorre à eleição da CNTS

Eleição do pleito sindical da gestão 2022/2027 ocorre no próximo dia 8 de dezembro, de forma virtual. A Chapa única, denominada “Para Continuar Avançando”, é liderada pelo atual presidente da Confederação, Valdirlei Castagna, e terá como vice, o presidente da Federação do MS, Osmar Gussi. Concorre ao cargo de secretária-geral, a dirigente da Federação do NE, Lucimary Santos Pinto.

Confederação Nacional dos Trabalhadores na Saúde – CNTS realiza no próximo dia 8 de dezembro, de forma virtual, o II Congresso Eleitoral Ordinário, que elegerá a nova direção da entidade para o período 2022/2027. O pleito sindical acontece das 9h às 13h. Essa será a segunda vez que as eleições para escolha da diretoria e dos membros do Conselho Fiscal da CNTS serão realizadas via Congresso Eleitoral.  Uma única CHAPA foi inscrita e concorre ao pleito. A Chapa única, denominada “Para Continuar Avançando”, é encabeçada pelo atual presidente da Confederação, Valdirlei Castagna, indicado pela Federação do Rio Grande do Sul, e terá como vice o presidente da Federação do Mato Grosso do Sul, Osmar Gussi. Para a secretaria-geral, concorre o cargo a dirigente da federação do NE, Lucimary Santos Pinto. Para tesouraria-geral, concorre Maria Salete Cross, indicada pela federação de Santa Catarina. Confirmada a eleição pelo Congresso, haverá uma renovação de quase 50% dos atuais membros da diretoria.

O Congresso Eleitoral da CNTS acorre em meio a uma dura realidade enfrentada pela categoria e pela classe trabalhadora, sem precedentes na história recente do país. Com perdas salariais, aumento da terceirização e retirada de direitos conquistados duramente ao longo de décadas de luta. Além disso, nesta pandemia, o governo Bolsonaro apresentou várias normas que beneficiam a classe empresarial em detrimento a classe trabalhadora. O principal exemplo disto foram as MP 927/2020 e MP 936/2020, que puniam, com redução de direitos e aumento dos riscos dos trabalhadores que foram obrigados a continuar exercendo seus serviços para salvar a vida de milhões de brasileiros.

Mais de 600 mil mortes causadas pela pandemia de Covid-19 no Brasil durante o governo Bolsonaro são a face mais visível da destruição nacional iniciada há 1000 dias pelo presidente. É impossível desconsiderar a parcela de mortes decorrentes de uma política sanitária negacionista, desorganizada e sobre a qual pesam fortes indícios de tentativa de corrupção na compra de vacinas. O total de óbitos é assombroso. Mas não é só na saúde que o país piorou. Estamos muito piores na educação, na cultura, na diplomacia, no meio ambiente – áreas que desde o início do atual governo estão sob comando da ala “ideológica” – e estamos piores também na economia.

A CNTS terá enormes desafios pela frente e que serão assumidos pela próxima gestão da entidade. O principal deles, é lutar contra um governo que não esconde sua preferência pela valorização do capital em detrimento das necessidades dos trabalhadores. Continuaremos atuando para que o trabalhador e o mundo do trabalho sejam dignos, para que haja respeito e decência. Para que o ambiente de trabalho não oprima, não adoeça e nem mate os trabalhadores.

Sabemos da importância que uma entidade nacional, forte e combativa, representa para a categoria. Exemplo disso é o papel preponderante que a CNTS teve na articulação e nas negociações junto ao senado federal para aprovar o PL 2564/20. Não fosse a presença da Confederação nesse processo, muito dificilmente o projeto teria sido votado. E se fosse votado, os valores dos pisos seriam bem inferiores ao que foi aprovado. Foi com a luta da CNTS que conseguimos aumentar o valor e garantir a atualização anual do piso, bem como, a garantia de que o empregador não pode pagar menos que o valor aprovado, independentemente da jornada de trabalho praticada.

O exemplo que aqui registramos nos dá a dimensão exata de que a categoria precisa ser bem representada em todos os seus espaços de atuação. Além de deixar claro para todos que precisamos de muita união das entidades e da mobilização organizada dos trabalhadores se quisermos avançar nas lutas e nas pautas da categoria.

Ações na busca do respeito à igualdade, as questões de gênero, raça, as questões de diversidade sempre estiveram e estarão presentes na pauta da CNTS; o fortalecimento do Sistema Confederativo da CNTS; a implementação definitiva do piso salarial nacional e pisos estaduais da categoria; a regulamentação da jornada de trabalho da categoria; o fortalecimento das negociações coletivas de trabalho; a sustentação e financiamento das entidades sindicais; a negociação com a patronal de uma pauta mínima para todos os trabalhadores em nível nacional; a atuação em conjunto com órgãos de classe e de fiscalização pelo fim sobrecarga de trabalho e; a luta em defesa do SUS e pela elevação das verbas orçamentárias para o financiamento da saúde pública, diretrizes que foram aprovadas no congresso extraordinário da categoria, são algumas das prioridades da nova gestão da CNTS. “Esse é um compromisso que assumimos enquanto componentes da chapa que concorre às eleições da entidade”, registra Castagna.

“É em meio às dificuldades que surgem as oportunidades. Estamos com muita disposição de assumir a gestão da entidade e trabalhar pela efetiva valorização e o reconhecimento da categoria profissional”, afirmam os integrantes da Chapa “Para Continuar Avançando”.

 

Nominata da Chapa:

Presidente: Valdirlei Castagna – RS

Vice-presidente: Osmar Gussi-MS

Secretário-Geral: Lucimary Santos Pinto-MA

Secretário-Geral Adjunto: Adilson Luiz Szymanski-RS

Tesoureiro-Geral: Maria Salete Cross-SC

Tesoureiro-Geral Adjunto: José Carlos dos Santos-SC

Diretor de Patrimônio: Isabel Cristina Gonçalves-PR

Diretor de Assuntos Legislativos: Mário Jorge dos Santos Filho-AL

Diretor de Políticas Públicas e Serviços Públicos: Manoel Pereira de Miranda-TO

Diretor de Assuntos Internacionais: José Raimundo Santana dos Santos-BA

Diretor de Formação e Política Sindical: Terezinha Perissinotto-RS

Diretor Jurídico e de Assuntos Trabalhistas: Carlos Alberto Monteiro de Oliveira-DF

Diretor de Assuntos da Previdência e Assistência Social: Domingos da Silva Ferreira-RN

Diretor de Assuntos de Aposentados e Pensionistas: Clotilde Marques-MS

Diretor de Negociação Coletiva: André Luiz Silva dos Santos-RN

Diretor de Imprensa e Comunicação: Mistrael Mário Pereira da Silva-DF

Diretor de Assuntos de Gênero, Raça, Diversidade e Juventude: Tatiane de Castro-SC

Diretor de Segurança e Saúde do Trabalhador: Lázaro Antônio Santana-MS

Diretor de Pesquisa, arquivo e Memória Sindical: Dejamir Souza Soares-MT

Diretor de Cultura Esporte e Lazer: Joaquim Valdomiro Gomes-MG

Diretor de Assuntos Econômicos: Jeová Gomes dos Santos-RO

 

Suplentes De Diretoria

Margarete Lavarda Resmini-RS

Ubiratan Gonçalves Ferreira-DF

Josemar Bezerra da Nóbrega-PB

Antônio Agamenon Torres Viana-DF

Fabio Ramos Nunes Fernandes-SC

Lamartine dos Santos Rosa-MS

Luana Mendes Leite Soares-PB

Bianca D’ Carla Macedo da Costa-RS

Adailton Antônio da Silva-AL

Adailton Antônio da Silva-MS

Leodália Aparecida de Souza-SC

Welida Costa Gonçalves-MA

Marcio Teixeira Barboza-RS

Eloisa Moura Azevedo Arce-RS

Melchora Gomes Ibanez Rodrigues-MS

Márcio Pascoal Ribeiro Junior-DF

José Carlos da Silva-SC

Denise de Matos de Freitas-SC

Dalva Maria Selzler-PR

Júlio Cesar Lopes Frota-CE

Clóvis Corrente-SC

 

Conselho Fiscal – Efetivos

Walter José Bruno D’Emery-PE

Silvio Vidart Madruga-RS

Walteci Araújo dos Santos-DF

 

Conselho Fiscal – Suplentes

Carlos Borges da Rosa-SC

Graciete Mouzinho-AM

Aparecida dos Santos Lima-MS

Fonte: CNTS

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *